Tribular Popular discute o Genocídio da Juventude Negra na Baixada


O Tribunal Popular da Baixada Fluminense terá como tema central para discussão e debate o Genocídio da Juventude Negra. A escolha do tema se deu após o aumento do número de homicídios e desaparecimentos misteriosos de jovens pobres e negros na Baixada Fluminense, além da impunidade, crimes estes, segundo a organização do evento “praticados pelo “Estado Democrático de Direito Brasileiro””. O evento gratuito já conta com mais de 200 pessoas interessadas e será no dia 11 de setembro, às 14h, na Praça do Pacificador, em Duque de Caxias.

Ainda segundo a organização, a iniciativa tem como objetivo “Ser um espaço/iniciativa de denúncia do Estado Racista Brasileiro e formentar a perspectiva de um sistema de justiça menos racista”. Eles protestam contra o Estado, pois no Rio de Janeiro, e principalmente na Baixada Fluminense, o jovem negro é “alvo preferencial do Estado, corpos matáveis”. Ao todo mais de vinte mobilizações apoiam a iniciativa.

De acordo com o site Gazeta do Povo, com base em dados do Mapa da Violência no Brasil, "Os negros e pardos também têm sido mais assassinados do que os não-negros (grupo que inclui os brancos, amarelos e indígenas). De 2006 a 2016, o número de negros mortos por homicídio aumentou 23%, enquanto o de não-negros diminuiu 6,8%, em todo o país".


4 visualizações0 comentário