Depois do outubro rosa chegou a vez do novembro azul


Cidade de Queimados foi a primeira a realizar atividades alusivas à doença

Depois do outubro rosa que faz uma campanha contra o câncer de mama nas mulheres, chegou a vez de uma  programação especial dedicada aos homens. O Novembro Azul, visa ressaltar a importância do diagnóstico precoce do câncer de próstata que atinge 1 a cada 9 homens durante a vida. O Instituto Nacional de Câncer (INCA) estima que para cada ano do biênio 2018/2019, sejam diagnosticados  68.220 novos casos de câncer de próstata no Brasil. Esses valores correspondem a um risco estimado de 66,12 casos novos a cada 100 mil homens.

A programação especial deste mês começou pela cidade de Queimados que realizou no último sábado, 3, um evento de ação social em praça pública através do mandato da vereadora Eloiza Helena e realizou mais de 60 testes de PSA. “Fiquei muito feliz com a presença dos homens que se disponibilizaram a fazer o teste e todos os outros exames necessários ao diagnóstico precoce, muito importante para a vida dos homens”, destacou a vereadora. Até o fechamento da matéria ainda não havíamos recebido a agenda das outras cidades da Baixada.

O PSA  tem como principais funções verificar a presença de um câncer de próstata e o andamento da doença, mas também é um marcador comum para outras doenças da próstata, como a prostatite e lesões no geral. No entanto, somente este exame não é suficiente para detectar o grau de agressão da doença no organismo. Para tal, é necessário a realização do toque feito por um urologista, alerta, o urologista, Francisco Paulo da Fonseca. “O PSA é um marcador inespecífico para estudar as doenças comuns da próstata (prostatite, hiperplasia benigna da próstata e câncer de próstata) e portanto, não serve exclusivamente para a detecção do câncer de próstata”, destacou.

Ao longo de todo o mês, ações serão desenvolvidas em várias unidades de saúde do município. Encerramento será com grande ação social A Secretaria Municipal de Saúde de Queimados, deu início nesta quarta-feira (7) às ações de prevenção que serão realizadas ao longo de todo o mês nas unidades de saúde do município. A Clínica da Família Pastor Rosalvo Dantas, no bairro Valdariosa, foi a primeira unidade a promover a palestra para os pacientes. No local, além de um delicioso café da manhã, os pacientes tiraram dúvidas sobre o câncer de próstata, verificaram a pressão arterial e realizaram solicitações para o PSA (exame de sangue para detectar o câncer). De acordo com a Subsecretária Municipal de Saúde, Ruth Costa, todas as unidades irão intensificar a saúde do homem neste mês, porém os atendimentos são realizados no decorrer de todo ano. “Além de palestras educativas estamos fazendo a coleta de PSA, aferição de glicose e pressão arterial, entre outros serviços. No final do mês, uma grande ação social será realizada no Centro de Especialidades Médicas (CEMEQ)”, adiantou.  Para marcar uma consulta com o urologista basta ir até o Centro de Especialidades Médicas (CEMEQ), na Avenida Camilo Cristófano, nº100, Fanchem, com identidade, CPF, comprovante de residência e cartão do SUS. Outras informações: (21) 2665-3599.

          Negros devem fazer o diagnóstico mais cedo

A Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), por sua vez, pede que os homens com mais de 50 anos façam anualmente os exames de sangue, para medir os níveis do PSA, e de toque retal. “Indicamos os dois porque em 20% dos tumores não há alterações nos testes sanguíneos”, justifica o urologista Henrique Rodrigues, da SBU. Segundo a entidade, negros e indivíduos com familiares afetados devem estrear o check up antes, aos 45 anos.

O câncer de próstata ocorre principalmente em homens mais velhos. Cerca de 6 em cada 10 casos são diagnosticados em homens com mais de 65 anos, sendo raro antes dos 40 anos. A média de idade no momento do diagnóstico é de 66 anos. O câncer de próstata é a segunda principal causa de morte por câncer em homens, seguido apenas pelo câncer de pulmão. A cada 41 homens, pelo menos 1 morrerá de câncer de próstata. O câncer de próstata pode ser uma doença grave, mas a maioria dos homens diagnosticados com a doença, não morrem por causa dela.

Sinais e sintomas do câncer de Próstata

O câncer de próstata em estágio inicial geralmente não provoca sintomas, enquanto em estágio avançado pode causar alguns, como: Micção frequente.

Fluxo urinário fraco ou interrompido. Vontade de urinar frequentemente à noite (Nictúria).

Sangue na urina ou no líquido seminal. Disfunção erétil.

Dor no quadril, costas, coxas, ombros ou outros ossos se a doença se disseminou. Fraqueza ou dormência nas pernas ou pés. A maioria desses problemas é provavelmente provocada por outras condições clínicas, além do câncer de próstata. Por exemplo, o aumento da frequência urinária é muito mais frequentemente causado por hiperplasia prostática benigna (HBP), um crescimento benigno da próstata. Dessa forma, é importante manter o médico informado sobre qualquer um desses sintomas para que a causa seja diagnosticada e, se necessário, iniciado o tratamento. Fonte: American Cancer Society (11/03/2016)

Para que serve a próstata

A próstata é uma glândula do sistema genital masculino, localizada na frente do reto e embaixo da bexiga urinária. Sua função é a produção do fluido que protege e nutre os espermatozoides no sêmen, tornando-o mais líquido. Logo atrás da próstata, estão as glândulas denominadas vesículas seminais, que produzem a maior parte do líquido para o sêmen. A uretra, que transporta a urina e o sêmen para fora do corpo através do pênis, atravessa o centro da próstata. O tamanho da próstata varia com a idade. Em homens mais jovens, tem aproximadamente o tamanho de uma noz, mas pode ser muito maior em homens mais velhos.

Tratamentos no Câncer de Próstata Após o diagnóstico e estadiamento da doença, o médico discutirá com o paciente as opções de tratamento. Dependendo do estágio da doença e outros fatores, as principais opções de tratamento para pessoas com câncer de próstata podem incluir: Conduta Expectante. Cirurgia. Radioterapia. Criocirurgia. Hormonioterapia. Quimioterapia. Vacinas. Terapia Alvo. Estes tratamentos são geralmente realizados separadamente, embora em alguns casos, eles possam ser combinados. Em função das opções de tratamento definidas para cada paciente, a equipe médica deverá ser formada por especialistas, como urologistas, oncologista, cirurgião e radioterapeuta. Mas, muitos outros profissionais poderão estar envolvidos durante o tratamento, como, enfermeiros, nutricionistas, assistentes sociais, psicólogos e outros profissionais da área da saúde. Tomando decisões sobre o tratamento. É importante que todas as opções de tratamento sejam discutidas com o médico, bem como seus possíveis efeitos colaterais, para ajudar a tomar a decisão que melhor se adapte às suas necessidades. Algumas considerações importantes incluem: O estadiamento da doença. Idade do paciente e expectativa de vida. Quaisquer outras condições de saúde. A importância do tratamento para o paciente. A probabilidade de cura com cada tipo de tratamento. A expectativa do paciente em relação aos efeitos colaterais de cada tratamento. Obtendo uma segunda opinião. É um direito seu procurar uma segunda opinião. Isso pode lhe trazer mais informações e ajudá-lo a se sentir mais confiante sobre o tratamento que escolher. Pensando em participar de um estudo clínico. Em alguns casos, podem ser a única maneira para ter acesso a novos tratamentos. Ainda assim, estudos clínicos podem não ser adequados para todos. Se você quiser saber mais sobre os estudos clínicos que podem ser adequados para você, converse com seu médico. Considerando métodos complementares e alternativos. Estes métodos podem incluir vitaminas, ervas e dietas especiais, ou outros métodos, como acupuntura ou massagem. Os métodos complementares se referem a tratamentos usados ​​junto com seu atendimento médico regular. E os tratamentos alternativos são usados ​​em vez do tratamento médico. Embora alguns destes métodos possam ser úteis para aliviar os sintomas ou ajudar você a se sentir melhor, muitos não foram comprovados cientificamente e não são recomendados. Converse com seu médico antes de iniciar qualquer terapia alternativa. Escolhendo interromper o tratamento. Para algumas pessoas, quando os tratamentos não estão mais controlando o câncer, pode ser hora de pesar os benefícios e riscos de continuar a tentar novos tratamentos. Se você continuar (ou não) o tratamento, ainda há coisas que você pode fazer para ajudar a manter ou melhorar a sua qualidade de vida. Algumas pessoas, especialmente se a doença está avançada, podem não querer serem tratadas. Existem muitas razões pelas quais você pode decidir querer receber interromper o tratamento, mas é importante conversar com seus médicos antes de tomar essa decisão. Lembre-se de que mesmo se você optar por não tratar o câncer, você ainda pode receber cuidados de suporte para ajudar com a dor ou outros sintomas. Fonte: American Cancer Society (11/03/2016)

#prostata #novembroazul #queimados #veradoraEloizaHelena #secretariadesaúdedeQueimdaos #examesdeprostataemQueimados

29 visualizações0 comentário