Nova Iguaçu comemora 186 anos com vasta programação


Para comemorar os 186 anos, a prefeitura da cidade preparou uma vasta programação festiva que conta com música, dança, exposições de fotos históricas entre outras atividades que começaram no último domingo e irão até o próximo domingo. O Grupo LM Company se apresenta na próxima quinta no Paço Municipal. Sábado, às 10h tem um encontro de folias de Reis na praça Rui Barbosa. No domingo no Parque do Vulcão acontece a primeira edição do ano do projeto “Música na natureza” com a apresentação do Jazz Big Band. Paralela a toda essa programação ainda tem uma bela exposição na casa de cultura. A exposição chamada: “Imagens de Nova Iguaçu na coleção de Arruda Negreiros”, reúne um grande número de imagens históricas da cidade. Hoje teve missa solene pelo aniversário da cidade na catedral de Santo Antônio, às 12h. A programação continua às 16h com o lançamento do projeto Lab+Nova Iguaçu. Iniciativa que busca soluções inovadoras na gestão pública. O evento será na sede da Secretaria Municipal de Assuntos Estratégicos, Ciência e Tecnologia.

História

Foto: Alziro Xavier 

O Município de Iguassú foi criado no dia 15 de janeiro de 1833, com sua sede instalada às margens do Rio Iguassú, que serviu de inspiração para o seu nome. Ele surgiu a partir da Vila de Iguassú – uma localidade que desde o século XVIII era utilizada como pouso de tropeiros que faziam o Caminho de Terra Firme. Ainda em 1822, durante o Ciclo do Café, foi aberta a Estrada Real do Comércio, que em conexão com os portos de Iguassú, escoava a produção de cana-de-açúcar e do café plantado nas serras. O movimento foi tão expressivo que provocou a mudança do status de Vila para Município. Em 1858, com a inauguração da Estrada de Ferro Dom Pedro II, iniciou-se o crescimento do Arraial de Maxambomba. Por conta disso, foi realizada a transferência da sede do município para um novo centro econômico. Em 1916, Maxambomba passa a se chamar Nova Iguassú. No século XX, a principal atividade do Município passa a ser o plantio de laranjas. Os pomares de Nova Iguaçu se estendiam por toda a Estrada de Madureira, Cabuçu, Marapicu, alcançando também Itaguaí. Na época, Nova Iguaçu ficou conhecida como “Cidade Perfume” por causa do cheiro das frutas. Porém, diante de forte influência da Segunda Guerra Mundial, aconteceu a explosão demográfica da Baixada Fluminense e do Rio de Janeiro. Seu cultivo e exportação da laranja entraram em decadência levando a economia da cidade, o que culminou na divisão do território. Foi a partir da década de 40 que surgiu o processo de emancipação do Município. Nova Iguaçu perdeu Duque de Caxias (1943), Nilópolis e São João de Meriti (1947). Nos anos 90, foi a vez de Belford Roxo e Queimados (1990), Japeri (1991) e Mesquita (1999). Vale lembrar que em 1952, com a inauguração da Rodovia Presidente Dutra e a recuperação da malha ferroviária, a cidade passou por um aumento populacional e assumiu outras funções, entre elas, a de cidade dormitório e de corredor de acesso à capital. Hoje, Nova Iguaçu é o maior município da Baixada Fluminense em extensão territorial e segundo em população. Possui um dos centros comerciais mais importantes do Estado do Rio de Janeiro, um polo que atrai consumidores das cidades de seu entorno. HINO Nova Iguaçu! Terra linda e encantadora, Desde os tempos de outrora, Dos meus velhos ancestrais. Tens uma história, Cheia de belezas mil, O encanto Fluminense, É o orgulho do Brasil. A Maxambomba! Dos engenhos do passado, Nova Iguaçu! Dos dourados laranjais. Hoje feliz, Com teu rico alvorecer, Com teu progresso e beleza, Fiz consulta a natureza, És grande desde o nascer!


11 visualizações0 comentário