Queimados perde escola municipal para Japeri


A Escola Municipal Dr. Francisco Manoel Brandão, atualmente sob a gestão da Prefeitura de Queimados, será devolvida ao município de Japeri, já a partir do próximo ano letivo, em 2020. Localizado na Rua Félix, no bairro Tricampeão, o estabelecimento de ensino funciona com 27 servidores e sete salas de aulas, onde estudam 316 alunos da Educação Infantil à primeira fase (até o 5º ano) do Ensino Fundamental, divididos em 17 turmas.

O prefeito de Queimados, Carlos Vilela, se reuniu na manhã desta quinta-feira (02) no gabinete do prefeito de Japeri, em exercício, Cezar Melo, para informar que o colégio está localizado em área de conflito geográfico, no limite dos dois municípios. Vilela explicou que ao fazer um levantamento, determinado pelo Ministério Público, para legalização de todos os prédios da municipalidade, constatou que a Escola Dr. Francisco Manoel Brandão está na verdade localizada em área do município de Japeri, mas sendo mantida por Queimados.

A secretária de Educação de Japeri, Roberta Bailune, disse que recebeu a notícia com surpresa. Segunda ela, o próximo passo será a abertura de um procedimento administrativo para que a Procuradoria-Geral do Município identifique o conflito e estabeleça o processo legal, de forma a absorver a escola a partir de 2020.

A confusão fora provocada em 1991, quando Queimados e Japeri se emanciparam de Nova Iguaçu, segundo explicou o secretário de Urbanismo e Habitação de Japeri, Vinícius Araújo. “É uma situação muito comum entre municípios. Em vez do acidente geográfico, que pode ser um rio, por exemplo, usou-se uma rua como limite entre os dois municípios, onde exatamente estava localizada a escola que pertencia, até então, ao município-mãe de Nova Iguaçu”, lembrou o secretário.

No encontro, ficou acertado que a Prefeitura de Queimados vai formalizar, até o fim do ano, o processo de oficialização e devolução do prédio público e da escola para Japeri, que passará a contar com 35 estabelecimentos de ensino a partir de 2020. Além de Bailune e Araújo, a reunião entre os dois prefeitos contou ainda com a participação dos secretários Rodrigo Marques, de Governo de Japeri, e André Bianche, de Urbanismo de Queimados.

Os moradores não gostaram muito da notícia. “Mais uma escola pra não ter aula e nem merenda”, disse Raylane Carvalho. “E professor, vai ter quando?, perguntou Carllos Santana. Já a outra moradora reclamou que tem escola sem material escolar e sem alguns professores. “Meu filho ainda não teve aula de matemática este ano. Agora querem trazer outra escola para comer o pouco dinheiro”, relatou.


25 visualizações0 comentário