Ministério Público deve decidir se o presidente da Câmara de Queimados volta ao cargo


A abertura de uma CPI para investigar irregularidades durante o mandato do presidente Milton Campos (MDB) acarretou em seu afastamento por vontade própria até que os fatos fossem devidamente apurados, no entanto, dias depois, o presidente voltou atrás e resolveu retomar o cargo à força o que levou todos para a  delegacia. Na sessão seguinte, (18/6), o presidente insistiu em se manter na presidência e o então presidente interino, Tuninho Vira Virou (Progressista), encaminhou a situação ao Ministério Público que deve deliberar sobre o caos ainda esta semana. A sessão presidida por Milton Campos no dia 19/06, durou apenas cinco minutos e não votou nenhum projeto legislativo. Milton Campos renomeou Edna de Oliveira Moreno no cargo de Chefe de Gabinete, a contar de 18/06/2019, revertendo a exoneração feita pelo presidente interino Antônio Chrispe de Oliveira, o Tuninho do Vira Virou. A confusão na câmara municipal de Queimados pode acabar prejudicando a votação de matérias importantes para o legislativo como uma verba de mais de R$ 5 milhões de reais que seria para financiar a folha de pagamento, no entanto, o vereador não soube dar mais detalhes sobre a questão. "Não tenho informações precisas mas tive a informação de uma matéria que deveria ser votada, me parece que é de R$ 3 milhões meio ou R$ 5 milhões com a Caixa Econômica que iria ajudar muito o governo em termos da folha de pagamento. Além de outras que estariam chegando hoje ou amanhã", relatou. Tuninho anunciou ainda que assim que retomar a cadeira da presidência vai pedir uma nova eleição da mesa diretora. "Assim que eu retornar à cadeira da presidência será a primeira coisa que farei. Acho que precisamos de uma mesa diretora isenta para apurar os fatos", destacou. Nove vereadores acompanham Tuninho nesta guerra de força.


13 visualizações0 comentário