Conselho Municipal de Saúde de Queimados se opõe sobre a reabertura do hospital de campanha de Queim


Conselho municipal de saúde está encaminhando recomendação ao MP sobre a manutenção do fechamento da Central de Covid-19 em Queimados. A reunião realizada na noite desta quarta (7) que deliberou sobre a manutenção do fechamento do hospital se vale pela insuficiência financeira da cidade para manter uma unidade que custará aos cofres públicos em torno de R$ 1,7 milhão.


O ministério da Saúde publicou portaria no dia 29 de março de 2021, autorizando, em caráter excepcional, o pagamento de leitos de Suporte Ventilatório Pulmonar para atendimento exclusivo dos pacientes da COVID-19 aos Estados, Distrito Federal e Municípios, referentes ao primeiro trimestre de 2021. Segunda está portaria somente duas cidades da Baixada receberão o custeio: Paracambi e Queimados. O Governo federal irá enviar um valor mensal de R$ 430 mil somente, algo insuficiente para manter o hospital.


O prefeito de Queimados, Glauco Kaizer, anunciou no domingo de Páscoa que iria reabrir a unidade com 10 leitos de UTI até o próximo dia 10 de abril, mas diante desta deliberação do conselho de saúde, o executivo não poderá reabrir a unidade, mesmo tendo conseguido um aporte financeiro do Governo Federal de R$ 480 mil por 90 dias para a manutenção dos 10 leitos.


O presidente do conselho, Josué Silva, disse em entrevista ao programa Cidadania Ativa, da rádio Novos Rumos, na manhã desta quinta (8) que a cidade não tem condições de manter a unidade, por isso o conselho encaminhou a recomendação ao MP para que a unidade continue desarticulada. “Nós já havíamos aprovado a deliberação de fechamento do hospital, juntamente com a comissão de saúde da câmara e mesmo assim, a prefeitura se impõe pela reabertura, por isso, vamos para o Ministério Público, porque estamos baseados no parecer científico do próprio órgão público de que estávamos com baixa demanda, além do mais, os custos eram muito altos e não tínhamos fonte de custeio. Não podemos privilegiar um setor em detrimento de outros. Os recursos extras que o prefeito precisará utilizar para complementar o serviço vai desfalcar outros setores”, ressaltou.


Leia a íntegra da portaria da União aqui



233 visualizações0 comentário

Quem somos

O Estúdio de Criação  foi criado como micro empreendedorismo Individual - MEI em 2010 número:  12.649.813/0001-96 tendo como diretora executiva a jornalista e radialista Dine Estela que atua neste mercado há mais de 20 anos.  

 

                                                                                         Canal de Notícias

           “MINHA BAIXADA”

Este é um dos canais de divulgação próprios da empresa “Estúdio de Criação -  MINHA BAIXADA” que consiste na produção de um site atualizado diariamente com notícias de toda a Baixada Fluminense. O site conta ainda, com colunistas que falam sobre diversos temas e ainda uma  TV WEB com matérias em vídeo, além da produção de um jornal mensal, formato tablóide estendido (tabloide americano)  com tiragem de 25 mil exemplares e distribuição gratuita em toda Baixada Fluminense e Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

Diretora presidente: 

Dine Estela (jornalista responsável)

Diretor Comercial:

Fabrícius Custódio Caravana

(advogado)

Colaboradores:

Claudia Maria (jornalista)

Paula Menezes 

Alex  Soares

Professor Jorge Dahl

Leandro  Batista

Sheila Firmino

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
             SIGA-NOS
Contato
minhabaixada@gmail.com
21970387270 
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now