Origens recebe mais de 50  testes rápidos de COVID-19 em Queimados nesta quinta (7)


Policiais militares e civis também serão testados




A união que faz a força e a grande diferença está chegando para Queimados. Além de mais de 500 cestas básicas e 500 máscaras, os moradores irão receber mais de 50 testes rápidos para COVID-19.


Neste primeiro momento, serão testadas as pessoas que estão na linha de frente do combate como os policiais militares e civis de da cidade, além das equipes das ongs que estão lidando diretamente com o público.



Fabrícius Caravana de máscara Branca

Segundo um dos articuladores da Ong Origens, Fabrícius Caravana, os testes foram doados para atender a 55 DP. e policiais militares além das pessoas que estão na linha de frente e que não podem parar de trabalhar.


De acordo com a Anvisa, esses exames detectam anticorpos produzidos pelo organismo do paciente e devem ser realizados, preferencialmente, a partir de 10 dias após o início dos sintomas.


Basicamente, esse tipo de exame aponta se a pessoa teve ou não contato com o vírus. Quando uma pessoa entra em contato com o vírus, o organismo inicia a produção de anticorpos como um mecanismo de defesa. No entanto, é preciso aguardar alguns dias até que a quantidade desses anticorpos seja detectável em um teste (janela imunológica).


Metodologia


O exame é feito com o uso de amostras de sangue, soro ou plasma. A metodologia utilizada é chamada de imunocromatografia, que é a geração de cor a partir de uma reação química entre antígeno (substância estranha ao organismo) e anticorpo (elemento de defesa do organismo). Os resultados obtidos são chamados de IgM e IgG.


Portanto, o IgM e o IgG são as defesas do organismo a um agente externo, como o vírus que provoca a Covid-19. Tendo em vista que o organismo demanda um tempo para a produção desses anticorpos (janela imunológica) a partir do contágio, a imunocromatografia é indicada para exames a partir do sétimo dia após o início dos sintomas, a depender da limitação do teste e da indicação do fabricante. Esse tempo é necessário para assegurar que haverá anticorpos suficientes no organismo que possam ser detectáveis por esse método.


Além disso, para concluir se o caso é ou não de Covid-19, os resultados dos testes rápidos devem ser interpretados por um profissional de saúde, considerando informações clínicas, sinais e sintomas do paciente, além de outros exames confirmatórios. Somente com esse conjunto de dados é possível fazer a avaliação e o diagnóstico ou descarte da doença. O tempo médio para avaliação dos registros instantâneo.


Já foram distribuídas cerca de 500 cestas básicas. O diferencial nestas cestas são os produtos de higiene pessoal como Shampoo, condicionador, Álcool em Gel, além das máscaras produzidas pelas costureiras das ongs, conta o coordenador do Origens, Fabricius Caravana. “Nossas alunas de corte e costura estão se esmerando em providenciar máscaras que serão distribuídas junto com as cestas básicas”, conta.


O coordenador alerta para a necessidade de doações de produtos infantis como leite, fraldas, lenços umedecidos, complementos alimentícios, entre outros, pois a fila de espera passa de mil pessoas.


Para Natália Fernandes que é mãe sólo de um casal de 6 e 3 aninhos, a ajuda não poderia ter chegado em melhor hora. “Eu não consegui pegar o auxílio do governo federal ainda e a creche onde eu trabalhava fechou, logo estamos bem apertados aqui”, Mesmo sendo cadastrada no CadÚnico da prefeitura de Queimados, ela não tem um número de NIS no sistema da instituição, sendo assim, não conseguiu pegar uma das 17 mil cestas básicas doadas pelo Estado do Rio.


Já sua irmã, Renata de Souza, conseguiu a bolsa do Estado mas marcaram um CRAS tão longe de sua casa que o preço do Uber ficou em R$ 28 e ela não sabe como vai fazer para buscar.


Sheila de Souza também não conseguiu se cadastrar no Cadastro Único da prefeitura de Queimados, onde mora e seu pedido de auxílio do governo federal ainda está em análise desde do primeiro dia de cadastro. “Fiz o cadastramento no primeiro dia, mas até agora não recebi nenhuma orientação. Estou desempregada e sem poder sair para trabalhar. A cesta básica chegou em boa hora e com ítens que eu nem esperava como produtos de limpeza e higiene pessoal, além de ovos. Achei incrível”, conta animada.





35 visualizações

Quem somos

O Estúdio de Criação  foi criado como micro empreendedorismo Individual - MEI em 2010 número:  12.649.813/0001-96 tendo como diretora executiva a jornalista e radialista Dine Estela que atua neste mercado há mais de 20 anos.  

 

                                                                                         Canal de Notícias

           “MINHA BAIXADA”

Este é um dos canais de divulgação próprios da empresa “Estúdio de Criação -  MINHA BAIXADA” que consiste na produção de um site atualizado diariamente com notícias de toda a Baixada Fluminense. O site conta ainda, com colunistas que falam sobre diversos temas e ainda uma  TV WEB com matérias em vídeo, além da produção de um jornal mensal, formato tablóide estendido (tabloide americano)  com tiragem de 25 mil exemplares e distribuição gratuita em toda Baixada Fluminense e Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

Diretora presidente: 

Dine Estela (jornalista responsável)

Diretor Comercial:

Fabrícius Custódio Caravana

(advogado)

Colaboradores:

Claudia Maria (jornalista)

Paula Menezes 

Alex  Soares

Professor Jorge Dahl

Leandro  Batista

Sheila Firmino

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
             SIGA-NOS
Contato
minhabaixada@gmail.com
21970387270 
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now